domingo, 24 de novembro de 2013

Professor faz dicionário ouvindo crianças

Texto por Fabio Brizolla

Na biblioteca de uma escola do Complexo da Maré, conjunto de favelas na zona norte do Rio, o professor colombiano Javier Naranjo sorteia temas para os 16 alunos presentes na sala de aula, com idade entre 7 e 12 anos.

A tarefa de cada um dos jovens consiste em traduzir o significado de palavras previamente selecionadas, sejam as conotações positivas ou negativas.

Para um deles, "político" é o mesmo que corrupto.

"Solidariedade" é o equivalente a "ser gentil".

Ao falar sobre "paz", uma menina afirma ser algo que ela não tem no sábado à noite por causa do barulho provocado pelo baile funk que fica perto de sua casa.

INÍCIO

Naranjo, 57, observa, fascinado, cada uma das definições das crianças da Maré.

O professor veio ao Brasil para lançar o livro "Casa das Estrelas: o universo contado pelas crianças", uma espécie de dicionário elaborado sob a ótica infantil.

O livro surgiu nas conversas do autor em sala de aula, nos moldes do encontro promovido na quinta-feira no Complexo da Maré.

Professor de escolas situadas em zonas rurais da Colômbia, Naranjo reuniu ao longo de dez anos 500 definições para 133 palavras, muitas delas redescobertas por um olhar poético das crianças --seus alunos.

Amor e violência

"Amor", na visão de uma colombiana de 6 anos, é "o que cada coração reúne para dar a alguém".

"Violência" é definida por uma aluna de 7 anos como "a parte ruim da paz".

O que despertou a atenção de Naranjo para o que acabou se transformando em um livro foi uma conversa em sala de aula, em 1988.

Ao definir a palavra "criança", uma de suas alunas afirmou ser alguém que "tem ossos, tem olhos, tem nariz, tem boca, caminha e come, não toma rum e vai dormir mais cedo".

A partir daquele dia, o professor começou a levar para suas aulas um gravador com fita cassete.
poesia

"Percebi que existia um mundo a ser descoberto, repleto de poesia e também de aspectos sombrios", afirma o professor colombiano.

"Não tinha em mente o que fazer com os depoimentos, mas sentia necessidade de gravar aquilo por ser um conteúdo surpreendente e emocionante", diz ele.

"Casa das Estrelas", definição de universo de acordo com uma das crianças, passou a ser o nome do livro, lançado em 1999, sem muita repercussão na época.

Na reedição em 2013, porém, o dicionário de Naranjo conquistou o público.

Os registros dos estudantes do Complexo da Maré serão utilizados no próximo livro do autor.

O projeto, batizado pelo professor de "As Crianças Pensam a Paz", vai reunir depoimentos de pequenos estudantes em cinco países: Colômbia, Brasil, Argentina, Chile e Estados Unidos.

Texto disponível na Folha S.Paulo