terça-feira, 28 de julho de 2015

Inclusão na Biblioteca


Por Givanilda Maria - Bibliotecária CRB 8/9619
A biblioteca é um espaço para ser usado não só para leitura, é uma ferramenta para a disseminação da cultura, e que está aberto a todos de forma ampla, um espaço de compartilhar e aprender coisas novas. 
Sendo um espaço público e aberto a todos de forma igual, ou seja, desde aquele usuário que vem apenas para ler o seu jornal, até o que vem para uma pesquisa mais científica, a biblioteca tem que estar apta a recebê-los. Não só com um bom atendimento, mas também com um espaço físico adequado, e com materiais que atendam a pesquisa e também com o suporte apropriado para cada usuário. 
Hoje, vamos falar de inclusão dentro da biblioteca. Nos dias atuais, se ouve o tempo todo sobre inclusão. Sendo assim, a biblioteca não pode ficar de fora dessa realidade. Quando se pensa em inclusão, o que nos vem à mente são as pessoas com restrição de mobilidade - um exemplo são os cadeirantes. 
No universo da biblioteca, esse tema “inclusão" deve ser ampliado, começando desde o lugar onde será implantada, que seja de fácil acesso, da altura dos móveis, a localização e o espaço entre as estantes, as entradas e saídas da biblioteca, pensando sempre que nosso público é diverso. 
O acervo também precisa ser pensado, deve conter livros específicos para cada público. A biblioteca deve contar com materiais em vários suportes. Contar com DVD's, com Audiobooks, livros em braile, jogos que ajudam no aprendizado. Pensar na inclusão dentro da biblioteca, por exemplo uma escolar, é ter o cuidado de conhecer os alunos que precisam de suportes diferenciados. Um exemplo seria um aluno cego, o acervo deve contar com livros em braille, ou um aluno com dificuldade de mobilidade, enfim, esses precisam ser atendidos de forma que não se sintam excluídos desse universo. 
O papel da biblioteca é de ser um ambiente acolhedor, agradável, que consiga receber a todos de forma igual. Para isso, o bibliotecário deve sempre estar atento, com o público que atende. 

"Nós não devemos deixar que as incapacidades das pessoas nos impossibilitem de reconhecer as suas habilidades." Hallahan e Kauffman, 1994.

Fonte: verticebooks

sábado, 2 de maio de 2015

Como memorizar tudo que você lê

Ao longo do processo de leitura, é importante que a pessoa consiga lembrar daquilo que leu para que seu tempo tenha sido gasto produtivamente. Para isso, existem algumas estratégias que podem facilitar a memorização. Saiba 5 estratégias para lembrar com mais facilidades dos assuntos lidos durante sua vida. Confira-as a seguir: 

1- Faça resumos no livro
Os resumos facilitam a compreensão, a análise, a sintetização e a avaliação das informações. Dessa forma, você faz com que sua mente mantenha-se ativa durante a leitura e aumenta a capacidade própria de cognição.

2- Fale em voz alta
Após 30 minutos de leitura e tomadas de notas, pare o procedimento e fale em voz alta tudo que você conseguir lembrar sobre o assunto lido. Em um primeiro momento, a memorização é difícil, mas com o tempo você consegue aprimora-la e tem cada vez mais facilidade.

3- Discuta com o livro
Outra maneira de realizar uma leitura ativa é criando questionamentos com base no que você está lendo. Marque as partes do livro que não estão claras para você ou que possam gerar alguma discordância. Essas perguntas podem ser levadas para a sala de aula e servir de base para a retirada de dúvidas.

4- Monte uma pergunta
Ao final de cada capítulo, elabore uma questão que englobe vários pontos da leitura. Separe de 15 a 30 minutos para respondê-la e, assim, você estará memorizando ativamente os conceitos estudados.

5- Grave seus resumos e escute
Essa é uma maneira simples de você conseguir memorizar muitos tópicos sem precisar demandar grande esforço pessoal.

Fonte: Universia 27/04/2015

sexta-feira, 1 de maio de 2015

Ciência da Informação em Revista

Ciência da Informação em Revista publica novo número.
SUMÁRIO

130 cursos universitarios, online y gratuitos que inician en mayo

Veja mais em: http://wwwhatsnew.com/2015/04/19/130-cursos-universitarios-online-y-gratuitos-que-inician-en-mayo/?utm_source=feedburner

segunda-feira, 27 de abril de 2015

Biblioencanta

Biblioencanta é um Projeto de Extensão do Curso de Biblioteconomia da Universidade Federal de Alagoas - UFAL e está desenvolvendo atividades em parceria com o Lar São Domingos, no qual trabalha quinzenalmente diferentes gêneros literários por meio da contação de histórias, de brincadeiras lúdicas, músicas e muita alegria.
Nosso maior objetivo é contribuir com a formação de leitores.
Colheremos ótimos resultados, temos certeza.
Conheça o Biblioencanta. 

Escritor lança livro em cordel com as histórias da cultura alagoana

Dedicado ao estudo e produção de literatura de cordel desde a infância, o escritor alagoano Cícero Manoel, 24, da cidade de Santana do Mundaú, lançou este mês seu primeiro livro do gênero: 'Versos de um cordelista'.
A coletânea reúne histórias inéditas e algumas já publicadas em folhetos que contam 'causos' do cotidiano do Nordeste.

Responsável pela produção artesanal das histórias, desenhos e livretos, no modelo dos livros de cordel comercializados em feiras livres do Nordeste, Cícero Manoel expõe que a publicação de um livro produzido em uma gráfica é uma oportunidade que poucos cordelistas alcançaram.

“Fazer literatura no Nordeste já exige um grande esforço. E quando a produção se trata de cordel a dedicação precisa ser ainda maior. Principalmente porque depois do avanço da tecnologia a literatura de cordel vem desaparecendo dos espaços públicos que se fazia presente. A exemplo de feiras e praças”, diz.
Cícero Manoel mostra alguns dos cordéis confecionados artesanalmente (Foto: Waldson Costa/G1)
Segundo ele, para o livro 'Versos de um cordelista' foram reunidas histórias que possuem relação direta com a cultura popular do interior de Alagoas.
“Entre as histórias e 'causos' estão relatos de humor e críticas que fazem um resgate da cultura popular, mostrando um pouco do cotidiano do interior do Nordeste”, completa.

Publicado pela editora Viva, o livro está sendo comercializado no campus V da Universidade Estadual de Alagoas (Uneal), em União dos Palmares.

Escritor
Filho de pai analfabeto e uma mãe que nem ao menos terminou o segundo grau, Cícero Manoel, que atualmente estuda Letras na Uneal, nasceu em Garanhuns, Pernambuco, e foi criado em Santana do Mundaú, Alagoas.

Entre seus principais textos em cordeis estão relatos ficcionais e dramas da vida real, a exemplo do cordel 'A enchente de 2010 e os desastres em Santana do Mundaú', que conta o drama das famílias que enfrentaram a tragédia. Na ficção há histórias de 'causos' como como 'A morte de João Pinguço', 'A mulher que capou o marido', 'O casamento forçado' e até mesmo histórias de romance como 'A romântica história de Tião e Ana Luiza' e 'O romance de Armando e Aline".

Fonte: G1 Alagoas

segunda-feira, 20 de abril de 2015

UNESCO terá biblioteca de jogos

Iniciativa está prevista para 2016. Objetivo é utilizar games tradicionais na educação.
A Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura  (UNESCO) anunciou que está planejando a criação de uma biblioteca digital aberta de jogos tradicionais. O objetivo é recolher, preservar digitalmente edivulgar os jogos tradicionais de modo que possam ser utilizados em aplicações diversas promovendo a educação e a inclusão digital.

A iniciativa, que é uma parceria com a empresa chinesa Tencent Technology Company Limited, foi anunciada em Pequim pelo diretor da Divisão de Sociedades do Conhecimento, Comunicação e Informação da Unesco, Indrajit Banerjee, e o vice-presidente da Tencent Technology Company Limited, Edward Cheng, informou a Agência Lusa.

"O objetivo do projeto é duplo: na primeira fase, a UNESCO vai desenvolver uma metodologia e diretrizes para a identificação, coleta, inventariação de jogos tradicionais em todo o mundo, tendo também em conta outras iniciativas relevantes em curso. Por outro lado, em parceria com a Tencent, irá desenvolver uma estratégia de Tecnologias de Informação e Comunicação, e ferramentas para a preservação digital e disseminar informações sobre estes jogos tradicionais, com o objetivo de salvaguardar esse conhecimento como um património vivo do domínio público", disse Davide Storti à Lusa.

A UNESCO já apoia uma biblioteca mundial virtual, que reúne acervos de diversos centros de difusão cultural com livre acesso, com livros mapas e documentos de 194 países que datam desde o ano 1.200 a.C. (visite a versão em português aqui).

sexta-feira, 13 de março de 2015

Arapiraca: Mulheres acompanham desenvolvimento de filhos nas Arapiraquinhas

As bibliotecas digitais de bairro, as Arapiraquinhas, estão ampliando sua importância na formação educacional das crianças do município, com a participação cada vez mais efetiva das famílias no acompanhamento do desenvolvimento de seus filhos.

IMG-20
Exemplo disso é o caso da  dona de casa Michele Rodrigues Brito, moradora da Rua Boa Sorte, no bairro Primavera.

A mulher passou a frequentar a Arapiraquinha para ajudar a filha de dois anos de idade na participação das atividades lúdicas com a contação de estórias dentro da biblioteca digital de bairro.

As regentes Valéria e Marineuza revelam que a cada dia aumenta o número de mulheres e donas de casa acompanhando as atividades dos filhos nas bibliotecas Arapiraquinhas.

“Aqui, no bairro Primavera, como também em outras localidades onde funcionam as bibliotecas, as famílias têm participação ativa no acompanhamento de aprendizagem e desenvolvimento intelectual das crianças”, afirma a regente da Arapiraquinha do bairro Primavera.

A coordenadora das bibliotecas digitais de bairro, professora-mestra Eliane Bezerra, destaca o apoio da secretária de Educação Gorete Queiroz e da gestão da prefeita Célia Rocha, no apoio às ações para o fortalecimento da primeira infância”, frisou a coordenadora, citando também o programa Agapi.

Eliane Bezerra disse que o trabalho nas Arapiraquinhas também recebem o apoio de sua equipe, com a contadora de histórias Maria Cristina Tininha e a arte-educadora Fabiana Salsa.

Implantadas no ano de 2010, durante a gestão do ex-prefeito Luciano Barbosa, com seis unidades, nos bairros Jardim Esperança, Novo Horizonte, Canafístula, Primavera, comunidade rural de Canaã, e bairro Planalto.

Agora, na gestão da prefeita Célia Rocha (PTB) o projeto das Arapiraquinhas ganha mais força e outras duas unidades já foram entregues aos moradores das comunidades de Vila São José e Bananeiras, totalizando oito espaços de incentivo à leitura e pesquisa.

Mantidas pela Prefeitura de Arapiraca, por meio da Secretaria Municipal de Educação, as bibliotecas digitais de bairros têm um acervo com cerca de três mil títulos, salas climatizadas de informática, para contação de histórias e bebeteca, que atende crianças até cinco anos de idade.

Biblioteca de Itapetininga resolve ir aonde o povo está

A Biblioteca Municipal Doutor Júlio Prestes de Albuquerque programou uma série de eventos culturais que vão até abril em  Itapetininga (SP). Um dos projetos que estão na grade de eventos é a Primeira Caminhada Literária, que ocorre neste sábado (14), a partir das 9h, com saída da Praça Peixoto Gomide e chegada prevista para 11h na biblioteca. O evento é gratuito e aberto ao público em geral.

Dentro da programação está previsto o projeto “Narração Itinerante, Um Convite à Leitura”. A ação, segundo Milene França da Silva, que é a a responsável por ações culturais da biblioteca, tem como objetivo fazer visitas nas escolas da rede municipal de educação que estão cadastradas no projeto e organizadas em um calendário. Nessas unidades serão realizadas atividades de narração de histórias, mediação de leituras, sugestão de títulos de livros, além de fazer um convite para que alunos conheçam a Biblioteca Municipal.

Já o projeto “Biblioteca, Um Espaço de Leitura” pretende apresentar às crianças, jovens e demais interessados o interior da biblioteca. “Consiste em apresentar o funcionamento, o regulamento, sua função e importância do local para a comunidade, contribuindo para o despertar de um novo leitor”, explica Milene.

Nos dias 1ª e 2 de abril serão realizadas atividades em comemoração ao Dia Internacional do Livro Infantil em homenagem a Christian Andersen, escritor e poeta de histórias infantis. O evento terá a participação de escolas das redes municipal e estadual de ensino. Segundo Milene, o objetivo dos eventos é aproximar a população local e incentivar a leitura.
A Biblioteca Municipal fica na Rua Campos Salles, 175, no Centro. Mais informações pelo número (15) 3272-3265.

Fonte: G1

quarta-feira, 11 de março de 2015

Biblioteca da Rodagem espalha livros livres no Agreste Paraibano


Em meados de 2013 Jaciara Vieira de Castro decidiu transformar a sua chácara, uma pequena propriedade rural à beira da Estrada da Rodagem, em um espaço socioeducativo para promover atividades mobilizadoras, que garantissem maior visibilidade social ao município de Serra Redonda na Paraíba. Assim nasceu a Chácara do Saber - nome que ela deu à sua propriedade rural, e na sequência foi criada a Biblioteca da Rodagem. Jaciara nos contou que "a biblioteca comunitária foi uma necessidade que foi brotando a partir da deficiência de literatura na região. A cidade quase não oferece atrativos internos e nem turísticos. E muitos da comunidade acreditam que não podem ter muitas expectativas quanto ao lugar. As crianças por sua vez, num contexto árido e sem incentivos, ficam relegadas a esperar o tempo passar com suas brincadeiras ingênuas e espontâneas, mas quando chegam na adolescência logo migram da cidade em busca de outras possibilidades".


Dona Francisca escolhendo uma leitura para levar para casa. A Jaciara conta que "as pessoas que visitam a biblioteca na geladeira acabam apaixonados. Eu costumo deixar o ambiente bem gostoso, bem decorado e bem colorido". 


Jaciara é dona orgulhosa de uma motocicleta que agora faz parte de seu novo projeto de difusão da leitura, a Mototeca, que leva livros diretamente para empréstimos aos leitores em outros bairros e localidades: "Tudo é totalmente gratuito apesar das muitas dificuldades para abastecer a moto, e dificuldade também de manutenção da moto. Eu procuro não pensar nas dificuldades do futuro. Meu objetivo é favorecer um espaço onde a leitura possa servir de apoio à construção da própria cidadania daqueles que se achegam. Meu grande sonho é manter o espaço livre também, manter livre o direito à leitura. Eu sonho em ver frutos deste projeto no futuro da minha cidade".


Leia, Empreste ou Devolva: é uma iniciativa voluntária do blog Bibliotecas do Brasil para a montagem de pequenas bibliotecas livres e independentes que pode ser colocada em prática por qualquer pessoa. Nós criamos uma arte que pode ser utilizada livremente em cartazes, carimbos, adesivos e qualquer material que a pessoa interessada em montar uma biblioteca comunitária livre pode utilizar. O download da arte é gratuito e encontra-se na nossa área de downloads, clique e leia para saber como utilizar as artes. A Jaciara viu na arte da iniciativa Leia, Empreste ou Devolva uma oportunidade de divulgar melhor a Biblioteca da Rodagem e explicar aos leitores que a visitam, como funciona abiblioteca livre, imprimindo diversos cartazes.

  • O leitor é livre para emprestar o livro, levar para casa e devolvê-lo quando achar que deve;
  • É livre para fazer a leitura a seu tempo, sem pressa, não tem data de devolução; 
  • O leitor é livre para emprestar à outra pessoa;
  • Se quiser levar em uma viagem para ler e libertar esse livro em outra cidade, é livre para isso.

"A nossa biblioteca se deu pela ausência de bibliotecas no meu município, à princípio para disponibilizar um espaço onde a leitura fosse evidenciada. Eu conheci o blog Bibliotecas do Brasil há mais ou menos 2 anos. A arte da iniciativa 'Leia, Empreste ou Devolva' eu coletei há algum tempo e então pensei em colocar à disposição para que as pessoas entendessem que os livros expostos eram para ser lidos e não comercializados. Então passei a colocar em todo espaço da Chácara".

As crianças moradoras da região adoram a geladeiroteca e sempre passam para emprestar gibis


A biblioteca comunitária já tem sido visitada por escolas e grupos pequenos de estudantes pois é o único espaço da cidade dedicado a difundir a leitura. Jaciara conta que "a geladeiroteca surgiu quando ganhei uma geladeira velha de um vizinho então adaptei a minha Biblioteca da Rodagem. A antiga biblioteca era composta de um banquinho à beira da estrada e uma banca com alguns livros devidamente arrumadinhos e enfeitados à disposição de quem passava pela estrada. Com a chegada da geladeira então organizei melhor e assim pareceu mais criativa, o que tem chamado muito atenção de quem passa e também tem atraído pessoas à tardinha no momento das caminhadas".


Mototeca


"Crianças e adultos diariamente têm feito uma paradinha para folhear livros e revistas neste espaço. Eu disponibilizo livros para que levem para casa como uma forma de incentivar ao costume da leitura. Nós moramos em uma área rural, mas em nosso município na área urbana não existem bibliotecas, pasme! Também não existe bancas de revistas ou qualquer forma de incentivo à leitura. Sendo assim, este lugar tem se tornado o único onde livros estão disponíveis como fonte de prazer. Desde o ano passado tenho participado e investido tempo no sentido de incentivar a leitura nossa comunidade".



Jaciara comenta que "a secretaria de educação do município tem uma pequena sala com alguns livros, o espaço não é divulgado e pouco menos visitado, na verdade não sei se seria uma biblioteca".

Durante o carnaval Jaciara fez três exposições na Biblioteca da Rodagem, uma dedicada às embalagens de café de várias partes do Brasil, uma exposição em homenagem aos 50 anos da Jovem Guarda, e uma exposição sobre Luis Gonzaga e toda sua discografia. Uma radiola foi providenciada e os visitantes das exposições puderam apreciar as músicas.


Exposição das embalagens de café



Moradores e visitantes estiveram presentes para participar das atividades culturais da Chácara do Saber.

A radiola foi disponibilizada para que os visitantes pudessem ouvir os sucessos de Luis Gonzagadurante a exposição de sua discografia


Como doar livros, colaborar com a Biblioteca da Rodagem e participar das atividades culturais: a Jaciara aceita como doação livros de literatura e gibis, pode entrar em contato com ela através do seguinte endereço: Rua 30 de Dezembro, nº8, Centro, Serra Redonda/PB. CEP: 58.385.000 ou pela sua página no Facebook: Chácara do Saber ou pelo email: chacara13pb@hotmail.com

Daniele Carneiro - contato@bibliotecasdobrasil.com
Fotos: Jaciara - Chácara do Saber
Fonte:http://www.bibliotecasdobrasil.com/2015/03/biblioteca-da-rodagem-espalha-livros.html

sábado, 7 de março de 2015

Tablets para seu projeto de leitura

A Fundação Palavra Mágica está apoiando bibliotecas e pontos de leitura interessados em participar de projeto de criação de clubes de leitura digital e receber tablets para estimular a leitura de eBooks entre seus usuários.
Mais informações no e-mail atendimento@palavramagica.org.br.
Acesse o site e conheça o projeto. http://www.palavramagica.org.br/novo/projetos.php

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

UNESP oferece canais online com cursos e downloads gratuitos

Quando precisamos pesquisar alguma coisa, a internet nos dá tantas possibilidades que às vezes, ficamos perdidos. Uma boa dica para ajudar na pesquisa de trabalhos acadêmicos são oscanais online da Universidade Estadual Paulista.
UNESP possui uma série desses canais online em que disponibiliza as mais variadas formas de acesso ao conhecimento acadêmico, além da graduação mediante vestibular.
São plataformas, incluindo TV e biblioteca digital, em que são oferecidos regularmente cursos livresministrados por docentes da instituição, downloads gratuitos, consultas, pesquisas e muito mais.
Veja abaixo como ter acesso online e gratuito ao conhecimento produzido pela UNESP:
Oferece cursos livres, que podem ser concluídos por qualquer pessoa em qualquer lugar com acesso à internet. É um ambiente de aprendizagem on-line e gratuito que oferece a oportunidade de formação e aperfeiçoamento em diversas áreas do conhecimento. Não oferece assessoria pedagógica (tutoria), avaliação e certificação.
A Univesp TV, televisão online da TV Cultura, disponibiliza gratuitamente cursos e palestras de temas variados, como história, matemática, ciências sociais e música. No site, é possível assistir vídeo-aulas que fazem parte dos cursos de graduação e pós-graduação ministrados na UNESP por docentes da própria Universidade. Há também cursos de extensão, mesas redondas sobre atualidades e conteúdos ligados a universidades estrangeiras.
Possibilita o acesso aberto à produção científica, acadêmica, artística, técnica e administrativa da Universidade. Contempla a produção científica da Universidade, de 1976 aos dias atuais, com mais de 80 mil registros.
O projeto surgiu há alguns anos como um selo da Fundação Editora UNESP, que tem como carro chefe a Editora UNESP, existente desde 1987. No entanto, a principal diferença do Cultura Acadêmica é a sua versão digital, que auxilia na ampliação de projetos acadêmicos por meio de downloads gratuitos dos livros. Todos os conteúdos disponíveis foram produzidos nas Faculdades que integram a UNESP e receberam uma supervisão de peso, formada por um conselho editorial e uma comissão científica durante todo o processo de elaboração.
É o acervo digital de livros que a UNESP disponibilizou gratuitamente na web. São cinco categorias de títulos: Hemeroteca, Livros, História de São Paulo, Mapas de São Paulo e Música. A iniciativa surgiu da parceria entre a Biblioteca Nacional, o Arquivo Público do Estado de São Paulo e a Biblioteca Mário de Andrade.
Acesso gratuito a todo tipo de material produzido pela UNESP, seja livro, documento, objeto educacional e conhecimentos variados. A busca pode ser refinada por assunto, autor, título ou data da edição. Quem for estudante ou docente da UNESP, pode disponibilizar seu próprio material acadêmico no site para futuras consultas.
Ajudou? Esperamos que sua pesquisa fique mais fácil com esses acessos ao conhecimento da UNESP.
Bons estudos!

segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Ebooks e o desenvolvimento de coleções

Por Gustavo Henn

Definitivamente, o maior impacto do ebook nas bibliotecas será sentido pelo desenvolvimento de coleções e tudo o que ele envolve: seleção, aquisição, desbaste, descarte, inventários, avaliação, e política de desenvolvimento.

O desenvolvimento de coleções foi moldado para o período de escassez de produtos de informação e de recursos para a aquisição. Porém, para um período de abundância informacional como o nosso e, consequentemente(?), de barateamento dessa informação, muitas de suas atividades ficam sem sentido. Talvez seja cedo para falar disso, mas precisamos começar a imaginar um futuro sem a preocupação com o desenvolvimento de coleções. Ou, talvez, com uma preocupação menor.

Seleção. selecionar livros é tarefa fundamental para qualquer bibliotecários. analisar todos os critérios possíveis e decidir comprar um livro em detrimento de outro, quantos exemplares, é uma das tarefas mais belas de uma biblioteca, pois isso é decidir que livro sua comunidade irá ler. Agora, imagine que no lugar de optar por um livro ou outro você possa ter os dois que você considera interessante para a biblioteca e vários outros menos interessantes(na sua opinião, é claro, não na do usuário). É isso o que a amazon permite com o seu aluguel de livros e que, mais cedo ou mais tarde, as editoras farão o mesmo. Para que selecionar se se pode ter tudo?

Aquisição. Adquirir significa dizer "é meu"". Nada mais explícito de um período de escassez. no entanto, ja há um tempo que os livros nao são mais vistos como produto e sim como serviço. Serviços são acessados. A tendência é que as bibliotecas adquiram cada vez mais o acesso a bases de dados de livros, algo bem parecido com o que ja ocorre com os periódicos.

Desbaste e descarte. são atividades especificamente para o acervo físico. São atividades que daqui a alguns anos serão peça de museu. no máximo, haverá uma descontinuidade de serviço. Mas ninguém irá entrar no acervo para avaliar se um livro deve ir para o lixo ou para a restauração.

Inventário. Errei acima. nada representa melhor a escassez do que o inventário. que é verificar se os livros adquiridos estão no acervo. Vejo bibliotecas investirem alto em equipamentos de segurança e RFID para inventário. Seria melhor investirem em ebooks. Pois terão que investir de qualquer forma.

Política de desenvolvimento de coleções. uma vez que o livro é um serviço, a política deverá incluir aspectos sobre quais serviços adquirir. Quais aspectos devem ser levados em conta. E também quais critérios norteiam os leitores de ebook.

E para você, como será?
P.s.: Essas ideias foram discutidas com a Professora Geysa Flávia da UFPB. A quem agradeço.

sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

Biblioteca Digital do Senado disponibiliza obras raras com mais de 300 anos

Entre os 260 mil documentos de interesse do Poder Legislativo, obras raras com mais de 300 anos fazem parte do acervo digital da Biblioteca do Senado.  O livro mais antigo é o Novvs Orbis seu Descriptionis Indiae Occidentalis, de Johannes de Laet, datado de 1633. Trata-se de uma descrição geográfica, científica, etnológica e linguística da América, além de relatos e desenhos dos animais e plantas da região, com especial destaque para o Brasil.

Da Coleção Digital de Obras Raras também constam revistas e manuscritos. A Revista Moderna, impressa em Paris a partir de 1897 é um dos destaques do acervo, com o que havia de mais avançado em jornalismo na época, primando por reportagens elaboradas e a cobertura dos acontecimentos mais marcantes.

Em breve serão incluídos outros títulos como o jornal ilustrado Don Quixote, uma publicação de sátira política, editada e ilustrada por Angelo Agostini, que circulou entre 1895 e 1903.

Ainda são poucos os manuscritos digitalizados, mas todos muito relevantes. Um deles é o autógrafo da Lei Áurea, pertencente ao Arquivo do Senado, sendo um dos documentos mais acessados. Outro bastante procurado é composto por versos de Machado de Assis, intitulado O Casamento do Diabo, que é acompanhado por uma versão digitada para ajudar na compreensão do texto.

Acesso

A Biblioteca do Senado oferece 916 obras raras e valiosas digitalizadas, dentro da coleção específica que possui 7.548 volumes. As obras foram restauradas e estão à disposição de qualquer pessoa conectada à Internet. A restauração e conservação do acervo permitiram a digitalização e facilitaram o acesso. Os arquivos digitais reproduzem fielmente todas as características das obras.

O processo de disponibilização desse material demanda tempo e exige diversos cuidados, como informa a bibliotecária Clara Bessa da Costa, do Serviço de Biblioteca Digital.

— Na etapa de seleção analisamos se as obras estão em condições de passar pelo processo de digitalização, que é realizada com todo o cuidado para que não haja nenhum dano ao material.  Depois os arquivos em alta resolução são conferidos e convertidos para PDF para facilitar  o download pelas pessoas que acessarem nosso acervo — explicou.

Em 2014, os arquivos da Biblioteca Digital do Senado foram visualizados mais de 2,2 milhões de vezes. As obras publicadas são de domínio público ou têm os direitos autorais cedidos pelos proprietários, possibilitando o download gratuito.

Pesquisa

Para pesquisar na Biblioteca Digital do Senado, basta acessar o portal e informar o nome do autor, título ou assunto procurados. A pesquisa avançada também permite selecionar a coleção (entre livros, legislação em texto e áudio, jornais e revistas, produção intelectual de senadores e servidores do Senado e documentos diversos).

Clara Bessa da Costa explica que não é necessário nenhum tipo de cadastro.

— Porém, se o usuário quiser ficar atualizado com nossas novidades basta se cadastrar para receber um e-mail com o link dos novos itens incluídos na coleção que ele escolher.

A biblioteca pode ser acessada através da URL http://www2.senado.leg.br/bdsf/

Fonte: Agência do Senado

Prêmio Sesc abre inscrições

Iniciam na próxima segunda-feira (19) as inscrições para o Prêmio Sesc de Literatura 2015. Pela primeira vez desde a criação do prêmio em 2003, o processo seletivo será inteiramente realizado via internet, desde o envio de informações pessoais até a obra propriamente dita. Outra novidade desta edição é que os vencedores serão anunciados em julho durante a 13ª edição da Festa Literária de Paraty (Flip). A cada ano, são selecionados dois autores inéditos nas categorias Conto e Romance. Cada vencedor assina contrato de publicação com a editora Record, que será responsável pela distribuição comercial das obras com tiragem inicial mínima de dois mil exemplares. 
O edital completo está disponível em www.sesc.com.br/premiosesc.

Fonte: PublishNews 

Acessibilidade na web

A Cartilha de Acessibilidade na Web tem o objetivo de orientar gestores, desenvolvedores, auditores, procuradores, promotores e cidadãos sobre a importância de se preocupar e investir em acessibilidade na Web. Esse material é disponibilizado sob a licença Creative Commons e qualquer pessoa pode compartilhar, copiar, distribuir e transmitir a obra, desde que atribua os créditos e não utilize a cartilha para fins comerciais. A Cartilha de Acessibilidade na Web também está disponível em HTML no site do W3C Brasil.