sexta-feira, 25 de abril de 2014

Smartphones estimulam a leitura em países pobres, mostra UNESCO

Pesquisa da UNESCO indica que o "boom" de smartphones tem ajudado a promover a leitura em países pobres como Etiópia, Gana, Nigéria e até na Índia. Nestes locais, o aparelho atua como agente ativo para estancar a ausência de livros em papel.

A organização americana sem fins lucrativos Worldreader distribui livros digitais para smartphones de baixo custo e Kindles para classes escolares carentes. Com acervo de 6 mil títulos (a maioria gratuitos), o serviço já acumula cerca de 300 mil usuários mensais. Desde 2010, a Worldreader já ofereceu mais de 1,7 milhão de e-books para download.

"Estamos trabalhando em partes do mundo onde, historicamente, os livros não chegaram", explica Susan Moody, diretora de comunicação da entidade, para quem a tecnologia permite mudar esta realidade. "Se levarmos livros para lá, as pessoas compreenderão mais e cultivarão a cultura da leitura", completa.

De acordo com a pesquisa, 62% das pessoas entrevistadas preferem ler nos smartphones a pegar nos livros e 33% leem para seus filhos a partir dos dispositivos, ao passo que reclamam da falta de obras infantis.

Fonte: Olhar Digital

Unesco no Brasil abre campanha de incentivo à leitura

No Dia Mundial do Livro, comemorado nesta quarta-feira (23), a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) no Brasil divulga uma campanha nas redes sociais de promoção à leitura com foco na Copa do Mundo.

Com o nome “Ler também é uma paixão”, a campanha tem como mote a frase “Neste Dia Mundial do Livro e dos Direitos Autorais toque a bola para os seus amigos e compartilhe o nome do livro que marcou um gol na sua vida”.

A data será celebrada com atividades em várias partes do mundo, segundo a assessoria de comunicação da Unesco no Brasil, tendo a cidade de Port Harcourt, na Nigéria, como a Capital Mundial do Livro 2014.

No Brasil, o órgão destaca a iniciativa dos Ministérios da Cultura e da Educação de tornar lei o Plano Nacional do Livro e Leitura (PNLL). Está em tramitação, no MinC e no MEC, projeto de lei a ser encaminhado ao Congresso Nacional com o objetivo de institucionalizar as políticas relacionadas ao livro, à leitura, à literatura e às bibliotecas.

O acesso de todo cidadão ao livro e à leitura é o objetivo principal do PNLL, um conjunto de projetos, programas, atividades e eventos na área do livro, leitura, literatura e bibliotecas em desenvolvimento no país.

As diretrizes do PNLL têm por base a necessidade de formar uma sociedade leitora como condição para promover a inclusão social de milhões de brasileiros.

Em mensagem por ocasião do Dia Mundial do Livro, a diretora-geral da Unesco, Irina Bokova, ressaltou que os livros são as forças mais poderosas para a erradicação da pobreza e a construção da paz.

“A Unesco convida todas as mulheres e todos os homens a reunirem-se em torno de livros e de todos aqueles que escrevem e produzem livros. Este é um dia para celebrar os livros como a incorporação da criatividade humana e o desejo de compartilhar ideias e conhecimento, de inspirar compreensão e tolerância”, diz Bokova.

Fonte: Hoje em Dia 23/04/14

Publicar os próprios ebooks: sites gratuitos

Do papiro aos tablets, ao longo da história, os livros passaram a utilizar novos formatos para se adequar aos avanços tecnológicos. Atualmente, as novas tendências são os e-books. Além de serem interativos, eles também podem reduzir os custos de impressão e o gasto de papel. Mas, essas não são as únicas vantagens. Os livros eletrônicos podem ser uma ótima opção para professores e alunos desenvolverem seus próprios conteúdos.

Se antes era necessário recorrer às editoras para a publicação de um livro, hoje é possível criar um e-book e compartilhar o resultado final na internet. Com essa facilidade, podem surgir novas opções de materiais que proporcionam experiências de ensino personalizado. Para auxiliar educadores, alunos, ou até mesmo usuários que desejam se aventurar por esse universo, o Porvir separou uma lista de 5 sites gratuitos que permitem criar livros digitais.
Confira algumas opções:

1. Myebook

Com essa ferramenta o usuário pode criar e editar livros digitais de forma simples e personalizável. Ao iniciar um novo projeto, é possível escolher o número de páginas e optar por desenvolver a publicação a partir de um modelo pronto ou começar do zero. Para os que desejam adaptar um arquivo, também existe a opção de importar um documento em PDF.

Além de inserir textos, a plataforma permite a criação de recursos interativos com vídeos, áudios, documentos, imagens e arquivos em flash. Após a conclusão do projeto, o livro pode ser disponibilizado no site para consultas. A ferramenta está disponível apenas em inglês.

2. Livros digitais

Desenvolvida pelo Instituto Paramitas, a plataforma pode ser utilizada por alunos e professores para criação e publicação de livros eletrônicos. Com aplicações simples, uma das vantagens da ferramenta é estar disponível em português e ter fácil usabilidade.

No site, o usuário pode formatar o seu livro, escolher modelos de capas e adicionar páginas com quatro layouts pré-estabelecidos, permitindo inserir textos e imagens. Após a finalização do projeto, o livro pode ser convertido em PDF, no formato A4, ou também é possível compartilhar a obra nas redes sociais.

3. Papyrus

O Papyrus é um editor on-line que permite a criação de livros digitais para serem exportados no formato PDF, Epub ou Kindle. Para começar um projeto, é necessário escolher entre 25 modelos disponíveis. Com base nesses formatos, o usuário pode fazer adaptações, adicionar capítulos, inserir imagens e textos.

Embora seja possível seguir apenas modelos pré-formatados, a ferramenta possui alguns recursos de customização, incluindo o estilo de texto, alinhamento, formatação e inserção de links. Ela já está disponível em português.

4. Playfic

A plataforma não possui muitos atrativos visuais, mas possibilita a criação de livros digitais interativos. O usuário pode criar uma narrativa e colocar nas mãos de seu leitor escolhas que alteram o fim da história. A plataforma não usa gráficos e sons, mas o dinamismo é garantido pela possibilidade de avançar páginas ou parágrafos e de alterar o rumo da história.

O Playfic usa linguagem de programação simples, que permite a criação de verdadeiros jogos com a utilização de recursos textuais. A ferramenta pode ser interessante para estimular o desenvolvimento da capacidade de leitura e escrita.

5. ePub Bud

O ePub Bud foi desenvolvido para criar livros digitais infantis para iPad. A ferramenta permite subir arquivos ou criar publicações para serem acessadas pelo tablet. Com a ferramenta, os usuários podem disponibilizar as produções gratuitamente ou optar por vender sua criação.

Além de desenvolver as próprias histórias, a ferramenta permite navegar pelas criações de outros autores, podendo fazer o download desse conteúdo. A plataforma possui um acervo com diversos livros digitais gratuitos para crianças.

Fonte: Porvir 23/04/14

Primeira biblioteca comunitária digital do país é lançada em Ribeirão Preto (SP)

A Fundação Educandário Cel. Quito Junqueira abriu na quarta-feira (23), Dia Mundial do Livro e dos Direitos do Autor, a primeira biblioteca comunitária digital do país a fazer empréstimos de eBooks.

A Biblioteca Digital do Educandário vai atender os jovens e adolescentes do Complexo do Aeroporto (300 alunos), que já são atendidos pela instituição, mas futuramente poderá ser aberta à população. O projeto-piloto, que é pioneiro no País, terá seis meses de duração e contará com um acervo digital básico de 10 mil eBooks: serão 1.000 diferentes títulos de diversos gêneros da literatura, com destaque para as obras de literatura infantil e juvenil.

A leitura dos livros digitais será feita em tablets a partir de uma conexão com a internet e pode ocorrer também em smartphones, notebooks, computadores e eReaders (dispositivos de leitura digital). Cada usuário terá login e senha para acessar a biblioteca digital de qualquer aparelho, inclusive de outros lugares.

A biblioteca funciona como uma espécie de “Netflix (a empresa que empresta filmes pela internet) dos livros”. Porém, com uma vantagem adicional: ao carregar o eBook na tela, o usuário pode até desconectar a internet que mesmo assim pode ler o conteúdo offline.

A Fundação Educandário disponibilizou, inicialmente, 13 tablets. Além do uso nos projetos que acontecem no local, também poderão ser emprestados dispositivos para leitura em casa. Os eBooks com até 42 páginas podem ser emprestados por uma semana (com possível prorrogação de mais uma) e os demais por 15 dias, com direito a uma prorrogação. Aqueles eBooks que têm acima de 200 páginas podem ter o empréstimo prorrogado mais de uma vez.

“A era digital vai promover uma verdadeira revolução na leitura no Brasil, com impactos extraordinários na educação”, afirma o presidente da Árvore de Livros S.A., Galeno Amorim, que até o ano passado presidiu a Fundação Biblioteca Nacional e também foi secretário municipal de Cultura em Ribeirão. A Árvore desenvolveu um modelo de negócios pioneiro e vai atuar em todo território nacional junto a redes de ensino públicas e escolas privadas, bibliotecas e empresas.

“Com esse projeto, vamos ampliar o acesso aos livros aos adolescentes que participam do nosso programa, com uma disponibilidade ampla de títulos”, diz o presidente da Fundação Educandário, Marcos Awad. “Seria muito mais difícil reunir tantos títulos de papel, enquanto os eBooks facilitam muito o acesso, agilizando o aprendizado”, completa Awad.

Fonte: Blog do Galeno

sexta-feira, 11 de abril de 2014

Amazon compra a comiXology

A empresa revolucionou o modo como se lê os quadrinhos digitais

Amazon acaba de anunciar que chegou a um acordo para comprar a comiXology, a empresa que revolucionou o modo como se lê os quadrinhos digitais. “Não há casa melhor para a comiXology do que a Amazon”, disse David Steinberger, co-fundador e CEO da comiXology. Em comunicado enviado à imprensa pela Amazon, Davi Naggar, vice-presidente de conteúdo e aquisições da companhia de Seattle disse: “Amazon e comiXlogoy compartilham a paixão de reinventar a leitura no mundo digital”. Fundada em 2007, a comiXology oferece uma ampla biblioteca de conteúdos digitais de quadrinhos produzidos pelos 75 principais editores e criadores independentes do universo das HQs. Os termos da aquisição, obviamente, não foram divulgados, indo de acordo com a “teoria da comunicação de Bezos” que preconiza que tudo o que não se refira diretamente aos clientes não precisa ser comunicado. 

Fonte: Publishnews

quinta-feira, 3 de abril de 2014

Empresa japonesa irá digitalizar 15 mil manuscritos da Biblioteca do Vaticano

A empresa japonesa NTT DATA irá digitalizar cerca de 3.000 manuscritos da Biblioteca do Vaticano em um período de quatro anos, e 15 mil no total até 2018, no âmbito de um acordo inédito assinado nesta quinta-feira.
Durante uma coletiva de imprensa, o arquivista e bibliotecário do Vaticano, o francês Jean-Louis Bruguès, o prefeito da Biblioteca, o italiano Cesare Pasini, e o presidente e CEO da NTT DATA Corporation, Toshio Iwamoto, apresentaram o acordo no valor de 18 milhões de euros (22,6 milhões de dólares) e válido até 2018, que constitui apenas "a primeira fase da colaboração" entre as duas partes.
O bispo Casini explicou que o grande projeto para digitalizar todos os livros da Biblioteca começou há alguns anos e que o contrato com a NTT DATA vai possibilitar a digitalização de um total de 15.000 manuscritos até 2018.

"A NTT DATA e a Biblioteca Apostólica do Vaticano (BAV) assinaram um contrato inicial para a operação que digitalizará e preservará cerca de 80.000 volumes e 41 milhões de páginas, que podem ser consideradas patrimônio histórico da humanidade, escritas entre o II e o XX séculos", informou Iwamoto.
A Biblioteca do Vaticano é única em razão de sua variedade geográfica e antiguidade dos documentos. Dez manuscritos de valor histórico e artístico estão entre os 3.000 que serão digitalizados pela NTT DATA, segundo o Vaticano.
O bispo Bruguès ressaltou a vontade da Santa Sé "em disponibilizar este imenso tesouro que lhe foi confiado, oferecendo-o para livre consulta na web".
"Os manuscritos que serão digitalizadas vão da América pré-colombiana ao Extremo Oriente chinês e japonês, passando por todas as línguas e culturas que alimentaram a Europa", observou o prelado francês.
A missão da Biblioteca é "levar à periferia as mais diversas culturas", acrescentou, repetindo uma fórmula do Papa Francisco.
A NTT DATA Corporation, que fornece serviços em mais de 40 países, foi selecionada por ser especializada na preservação a longo prazo de manuscritos digitalizados.
 Fonte: Yahoo