quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Análise do edital do MEC para livros didáticos digitais


kno-660x501 (1)
Semana passada, o governo federal divulgou o edital de seleção de livros didáticos do Ensino Médio, para o ano letivo de 2015 – incluindo, pela primeira vez, a possibilidade de inscrição de livros didáticos digitais. A iniciativa é louvável e coerente – afinal, se o governo quer fornecer tablets aos alunos, precisa providenciar conteúdo adequado.
Não serão aceitos livros digitalizados – PDFs e ePubs simples, sem recurso multimídia, ficam fora da seleção. A ideia é que o livro digital traga o conteúdo dos livros impressos “integrados a objetos educacionais digitais”, como “vídeos, imagens, áudios, textos, gráficos, tabelas, tutoriais, aplicações, mapas, jogos educacionais, animações, infográficos, páginas web e outros elementos”. Enfim, conteúdos que tirem proveito específico do suporte digital.
Em termos de acessibilidade, os livros adquiridos pelo governo deverão ser convertidos, também, para o formato MecDaisy (a implementação do MEC para o formato DAISY, que adapta conteúdo para estudantes e professores cegos).
Outro requisito é a compatibilidade com múltiplas plataformas – o edital cita que o “mínimo de padronização” será o acesso dos livros digitais pelos principais sistemas operacionais, citando “Android 2.3 ou posteriores, iOS, Linux (Ubuntu) e Windows 7 ou posteriores, para dispositivos como laptop, desktop e tablets”.
Esse grau de compatibilidade elimina os apps do edital. Nenhuma editora irá criar 5 versões de um app para sistemas diferentes, uma vez que o custo é simplesmente inviável. Também ficam eliminadas as aplicações em Flash, já que elas não rodam em iOS. Na prática, a opção das editoras será fornecer os livros digitais em formato ePub. Mais especificamente, o formato ePub3.
Tanto o ePub quanto o ePub3 são formatos abertos, capazes de operar em todas as plataformas. E o ePub3 comporta todos os conteúdos multimídia relacionados no edital. É difícil dizer se o MEC está a par das limitações técnicas, ainda existentes, para a adoção do ePub3 de modo generalizado. Porém, levando-se em conta que a entrega dos livros digitais será apenas em agosto de 2013, para uso nas escolas em 2015, tudo indica que o ePub3 será o principal formato adotado pelas editoras.
Segundo o edital, os livros digitais devem vir sempre acompanhados de uma versão impressa. Não será possível submeter somente um livro didático digital, sem estar acompanhado de versão impressa, que deverá manter o mesmo ordenamento de páginas que o livro digital, e indicar, através de ícones, aqueles trechos que possuirem conteúdo multimídia adicional, na versão digital. A versão impressa deverá ser capaz de, sozinha, permitir uma aprendizagem tão suficiente quanto o livro digital. Estes mecanismos demonstram a cautela do Ministério da Educação na adesão ao digital, e a preocupação em evitar que uma eventual falta de acesso ao conteúdo digital, possa prejudicar os alunos.
A grande questão é a seguinte: será que as editoras brasileiras conseguirão produzir livros digitais, que não pareçam meras cópias digitalizadas dos livros impressos? Nos Estados Unidos e em outros lugares, esta é uma principais queixas dos estudantes.
Fonte: http://revolucaoebook.com.br/analise-edital-mec-para-livros-didaticos-digitais/

domingo, 20 de janeiro de 2013

Bibliopraia leva mais de 3 mil veranistas às bibliotecas

Projeto oferece aos veranistas opções de leitura em mais de cinco pontos do litoral do Paraná.

Foto: Kraw Penas

Nas primeiras semanas de atividades, o projeto Bibliopraia já registrou bons números. Iniciativa do Governo do Paraná, o projeto disponibiliza cinco bibliotecas móveis nas praias paranaenses. Mais de mil visitantes passaram em cada uma das três bibliotecas que já estão em atividade, sendo que os espaços acumularam mais de 2.000 empréstimos realizados. E outras atividades têm movimentado os módulos, como o grupo de contação de histórias, que ocorreu no último domingo, dia 6/01, nas areias de Ipanema, e que atraiu mais de 100 espectadores. Grande parte desse movimento se deve à procura por parte do público infantil. Algumas crianças já chegaram a acumular oito livros lidos. Diário de um banana, de Jeff Kinney, é o título mais concorrido.

Fonte: Publishnews

quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

Biblioteca Pública da Paraíba amplia o horário

Atendendo a uma reivindicação antiga dos frequentadores, a Fundação Espaço Cultural da Paraíba (Funesc) ampliou o horário de funcionamento da Biblioteca Pública Juarez da Gama Batista. Com uma média de visitação diária que chega a 400 pessoas, agora a unidade passa a atender ao público das 7h às 22h, de segunda a sexta-feira. Aos sábados, permanece aberta das 7h às 19h e aos domingos, das 8h às 14h.

Ainda em fase experimental, até 5 de março, o novo horário tem o objetivo de dar mais opção aos usuários, que vão desde estudantes do ensino médio a pesquisadores universitários e concurseiros. Instalada no Espaço Cultural José Lins do Rego, atualmente a biblioteca conta com um acervo de cerca de 100 mil títulos e atende mensalmente uma média de quatro mil usuários, fazendo do local um dos equipamentos culturais mais frequentados do Estado.

Frequentador assíduo da Biblioteca Pública, Flávio Freitas aprovou e já se beneficiou com o novo horário de atendimento. “Ficou melhor, principalmente para quem estuda para concurso e não consegue ter a mesma disciplina ao estudar em casa. Alguns colegas que conheci aqui já vinham reivindicando há algum tempo para que a biblioteca abrisse à noite também”, disse o produtor cultural, que atualmente se dedica aos estudos para seleção de mestrado.

Com espaço amplo e climatizado, a biblioteca também é local de estudos de Andreza Vieira, aluna de doutorado. “Esse novo horário é maravilhoso, principalmente para quem prefere estudar à noite”, afirmou.

Estrutura – Possui um amplo espaço de dois mil metros quadrados, dotado de 36 cabines individuais e 12 para pequenos grupos. Oferece gratuitamente acesso à internet wi-fi e empréstimo de livros aos usuários cadastrados. Hoje é a maior biblioteca pública da Paraíba, com um acervo de quase 100 mil obras, entre livros, periódicos, dicionários, enciclopédias, almanaques, atlas, obras em braile, CDs, DVDs, jornais e obras de cordel. A meta da atual administração é atingir a sua capacidade total: 250 mil volumes.


Fonte:  

terça-feira, 15 de janeiro de 2013

Mestrado Gestão de Documentos e Arquivos - UNIRIO


O Programa de Pós-Graduação em Gestão de Documentos e Arquivos (PPGARQ), do Centro de Ciências Humanas e Sociais da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO), divulga o edital do processo seletivo  2013 para o curso de Mestrado Profissional em Gestão de Documentos e Arquivos.
O Edital encontra-se disponível em: http://www2.unirio.br/unirio/cchs/ppggda

Livros de José de Alencar para download


Quatorze obras do pai do romance brasileiro, o escritor José de Alencar, estão disponíveis para download na Biblioteca Virtual do site da Casa do de José de Alencar, um museu que preserva a vida e obra do escritor.
Reprodução

Dentre as obras completas estão “O guarani” de 1857, “Til” de 1871, “Senhora” de 1875 entre outros. É possível fazer o download também dos textos de algumas peças de teatro, como a comédia Verso e Reverso, de 1857, além de trechos de manuscritos do escritor como o “Como e Porque Sou Romancista”, a autobiografia intelectual de Alencar.
A partir de maio de 2012 a Casa de José de Alencar em parceria com o Departamento de Literatura da Universidade Federal do Ceará e o Arquivo Histórico do Museu Histórico Nacional vai digitalizar e colocar a disposição na biblioteca virtual cerca de 30 documentos inéditos. O projeto orçado em R$100 mil vai resgatar textos de Alencar guardados há mais de 130 anos que ainda não haviam sido publicados.
Abaixo você confere o link direto para cada obra.
Romances
Teatros


Fonte: http://catracalivre.folha.uol.com.br/2011/11/livros-do-romancista-jose-de-alencar-disponivel-para-download/

Vagas Senac CE - Bibliotecário


O Senac CE, visando compor o quadro funcional por meio de recrutamento, divulga aqui as vagas disponíveis, e oferece a oportunidade, tanto para servidores que já fazem parte do quadro como para candidatos externos, a chance de concorrer em seus processos seletivos.
Disposições Gerais
O Senac CE realiza os processos seletivos para a contratação de seus colaboradores de acordo com as normativas dos Decretos Leis nº 8.621, nº 8.622 de 1946, nº 61.843 de 1967, e Resolução nº 875 de 2008, instituídos pelo Departamento Nacional do Senac. Por não se tratar de concurso público, o regime de contratação é celetista (Consolidação das Leis de Trabalho – CLT).
Convocação
Os candidatos selecionados receberão a convocação para a fase de seleção mediante e-mail ou contato telefônico, na qual será informada data, local, horário, duração, tópicos da avaliação e demais informações sobre a continuidade do processo seletivo.

domingo, 13 de janeiro de 2013

V Seminário em Ciência da Informação - SECIN


O Seminário em Ciência da Informação é realizado pelo Departamento de Ciência da Informação e pelo Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da Universidade Estadual de Londrina (UEL), bianualmente. Esta é a quinta edição do evento e a cada edição o evento cresce tanto em número de participantes quanto em número de trabalhos submetidos e apresentados. O seminário é direcionado a pesquisadores, profissionais e estudantes e visa promover a discussão de temáticas de interesse da área.

“De Ambientes Estáticos para a Comunicação Móvel” será o tema do V Seminário em Ciência da Informação, por representar as mudanças pelas quais o campo da Ciência da Informação vem atravessando e a transposição das ferramentas de organização e de compartilhamento da informação, de mídias impressas e estáticas para as que interagem e estão disponíveis em espaços sem fronteiras. O V SECIN vai ser realizado durante os dias 22, 23 e 24 de maio de 2013.
Atenção para as datas:
Período de Inscrições ouvintes12.11.12 até 22.05.13
Envio de trabalhos12.11.12 até 24.02.13
Trabalhos aprovados  10.04.13
Evento22, 23 e 24 de maio de 2013



sábado, 12 de janeiro de 2013

Anais Online CIBU

Já se encontra disponível os anais do 2º Congresso Internacional de Bibliotecas Universitárias, que acontecerá entre os dias 15 a 18 de janeiro em Valparaiso - Chile.

Parabenizo o Prof. Dr. Wagner Junqueira da Universidade Federal da Paraíba -UFPB, pela aprovação de seus artigos.




sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

Vale-Cultura


A ministra da Cultura, Marta Suplicy, abriu nesta quarta-feira (9), em entrevista à Rádio Band AM, a possibilidade de internautas enviarem opiniões, sugestões e dúvidas sobre o Vale-Cultura à comissão que vai regulamentar a política instituída por lei, no final do ano passado.
Espaço aberto nos comentários desta matéria e nas redes sociais. Todas as postagens serão objeto de estudo da comissão formada pela Secretaria de Fomento e Incentivo à Cultura (SEFIC/MinC) e Secretaria de Políticas Culturais (SPC/MinC),  pela Consultoria Jurídica (Conjur/MinC) e Secretaria Executiva (SE/MinC). O grupo tem até o dia 26 de fevereiro para regulamentar o Vale-Cultura.
O que é Vale-Cultura- Sancionado pela presidente Dilma Rousseff no dia 27 de dezembro, o Vale-Cultura é um benefício de R$ 50 mensais concedido aos trabalhadores que recebam até cinco salários mínimos por mês.
Com ele os trabalhadores poderão acessar serviços e produtos culturais nas áreas de Artes Visuais, Artes Cênicas, Audiovisual, Literatura, Humanidades e Informação, Música e Patrimônio Cultural.
A política deve beneficiar aproximadamente 17 milhões de trabalhadores e elevar o consumo cultural em até R$ 7,2 bilhões por ano.
Como funciona - O Vale Cultura será disponibilizado, preferencialmente, por meio magnético. Não será permitida a troca do vale por dinheiro e aqueles trabalhadores que aderirem ao programa terão um desconto máximo de 10% do valor do vale sobre seus salários. Este percentual será diferenciado para aqueles que recebam mais do que cinco salários mínimos.
Entre os pontos que devem ser esclarecidos com a regulamentação está a definição concreta de serviços e produtos culturais que o trabalhador poderá consumir com o Vale-Cultura.
Todos ganham
Trabalhadores: acesso aos produtos e serviços culturais, formação pessoal e melhoria da qualidade de vida;
Empregadores: incentivo fiscal para adesão ao sistema e satisfação e qualificação dos empregados;
Mercado: injeção de R$ 7,2 bilhões/ano na cadeia produtiva da Cultura;
Artistas: escoamento da produção cultural e ampliação da demanda;
Ministério da Cultura: avanço na política de democratização do acesso aos bens e serviços culturais.
(Texto: Ascom/ MinC)
(Foto: Mário Agra)
Fonte: http://www.cultura.gov.br/site/2013/01/09/vale-cultura-13/