sábado, 28 de julho de 2012

Wook quer transformar todos os livros de formato digital em eBooks


A importância que os eBooks assumem no desenvolvimento do formato dos livros está bem patente em múltiplos estudos, e a Wook não quer ficar de fora desta revolução. A livraria online do Grupo Porto Editora já disponibilizava eBooks em língua portuguesa e inglesa mas apresentou recentemente uma estratégia para a produção, distribuição e leitura digital, que acredita que pode impulsionar o mercado, facilitando a entrada de todas as editoras portuguesas, independentemente da sua edição, na realidade dos livros digitais. 
Luis Morais, Adjunto da Direcção da Wook, explicou ao TeK que a empresa acredita que “esta solução inovadora contribuirá para impulsionar o mercado do eBook em Portugal, pois disponibilizamos uma solução de compra e leitura amigável, multiplataforma e flexível aos consumidores e que facilita a entrada de mais editoras nacionais neste mercado, permitindo desta forma aumentar a oferta de títulos”. 
Até final do ano a Wook conta ter mais de 2 mil títulos na nova solução, mas os objetivos são mais vastos. “Queremos disponibilizar neste modelo todos os livros que estejam disponíveis em formato digital, sejam de literatura, técnicos ou infantis”, adianta Luis Morais, embora admita que os livros de “texto corrido” são de conversão mais fácil do que os técnicos e infantis pelas suas caraterísticas próprias são de conversão mais lenta e difícil. 
A plataforma usada pela Wook para esta estratégia de massificação dos eBooks é o eWook, um leitor próprio que permite a leitura de livros digitais independentemente do dispositivo e do sistema operativo, em browser, e que assenta numa aplicação desenvolvida pelo Departamento de Investigação e Tecnologia do Grupo Porto Editora. 
Apesar de ser acessível via browser, o eWook permite a leitura do livro em off-line, sendo este disponibilizado num formato ePub standard que é encriptado com um DRM desenvolvido pela mesma unidade. A solução contempla características de usabilidade como a marcação de páginas, o registo de anotações, a leitura noturna e o aumento do corpo e a alteração da fonte do texto. 
“A solução que a PE desenvolveu é compatível com qualquer dispositivo (reader dedicado, smartphone, Ipad, tablet, IOS, Android, etc.) desde que o mesmo tenha um browser. Esta é a grande mais valia deste formato desenvolvido pela PE: é multiplataforma”, afirma Luis Morais. E o utilizador pode aceder à sua biblioteca digital e ler os seus ebook em qualquer dispositivo. 
O mercado de eBooks ainda não tem um peso significativo nas vendas da empresa do Grupo Porto Editora, nem se espera que venha a ter no próximo ano e meio. Segundo um estudo de marcado realizado pela Wook, não existe uma substituição do papel pelo digital, mas antes uma complementaridade que se deverá manter. 
A comodidade na utilização e o preço são dois dos grandes argumentos para a aquisição do formato eBook, mas a diferença do IVA cobrado, que é de 6% no papel mas de 23% nos eBooks, acaba por ter impacto na minoração deste benefício. 
“Considerando os preços sem IVA os editores nacionais têm feito um esforço para que os eBooks apresentem um desconto face à versão em papel de pelo menos 30%. No entanto, dada a diferença de taxação em sede de IVA, esse “desconto” face à versão em papel diminui para menos de 20%”, justifica o adjunto da Direção da Wook.
Mesmo assim mais de 70% dos eBooks em português à venda na Wook têm um PVP inferior a 10 euros, e 15% têm um preço abaixo de 5 euros, detalha a mesma fonte. 

Fonte: http://tek.sapo.pt/noticias/internet/wook_quer_transformar_todos_os_livros_de_form_1259017.html